terça-feira, 16 de agosto de 2016

O volante ideal


A posição de primeiro volante, no futebol de hoje nos remete imediatamente a um jogador: Sérgio Busquets. O espanhol titular do Barcelona e da Seleção espanhola impressiona pela qualidade na saída de bola. Parece que ele sempre escolhe a melhor opção de jogada, clareando sempre a saída de jogo do time Catalão. Os números dele no Campeonato Espanhol são impressionantes. Segundo o Who Scored, Busquets possui 89.8% no acerto de passe, tem uma média de 4.7 lançamentos, 0.5 de “key pass”, por jogo (passe que resultou ezm algum lance de efeito) e 2.9 desarmes por partida - uma boa média, tendo em vista que o Barça é um time que presa pela posse de bola.

O que poucos rubro negros sabem, é que temos um volante com números parecidos com a grande referência da posição. Claro que uma comparação entre eles seria algo extremamente absurdo, até pelo nível de futebol em que cada um atua. A questão é comprovar a eficiência que esse jogador tem em campo, mas vale relembrar: NÃO É UMA COMPARAÇÃO ENTRE OS DOIS JOGADORES.

Também analisando as estatísticas do WhoScored, pode-se ver que nosso volante possui 90.3% de aproveitamento de passe, 0.7 key pass, 2 (dois) lançamentos por partida e uma média de 2.7 desarmes por partida, a terceira maior do Flamengo atrás de Arão e Jorge.

É de se estranhar que um jogador com números tão bons, passe desapercebido pelo torcedor do Flamengo. Aliás, desapercebido não passa, pois convive costumeiramente com críticas injustas. Agora ficou fácil saber o tal jogador é Márcio Araújo

Claro que o futebol não é uma ciência e muito menos exata. Mas as estatísticas existem para chegar perto de uma comprovação do que é feito dentro de campo. Os melhores técnicos do mundo contam com uma base de dados para analisar a equipe adversária, contratar um jogador, analisar desempenhos, etc. Para entender melhor sobre, vale a leitura do Livro “Os Números do Jogo” de David Sally e Chris Anderson.

Márcio Araújo se preparando para fazer um lançamento
Então, como um jogador de tamanha eficiência pode receber tantas críticas? Ouvimos falar até mesmo na mídia que o jogador erra muito passe, que rouba bolas, mas entrega na sequência para o adversário. Mesmo com aproveitamento de 90.3% pelo WhoScored e 96% pelo footstats, há quem diga que Araújo é um jogador que entrega a bola para o oponente.

Como os números compravam que o jogador erra pouquíssimos passes, os corneteiros cornetam forma que ele dá esses passes. O argumento é que Márcio Araújo acerta muitos passes, porque são sempre para trás ou para o lado, o que também não é 100% verdade, uma vez que o jogador dá em média 0.7 passes chave por jogo, dois lançamentos por partia e é o segundo jogador que mais tenta esse lance (Sem contar os zagueiros e os goleiros); Em 36 tentativas, tem 22 acertos. Também é o jogador que mais dá viradas de jogo. Foram 15 até agora e nenhum erro. Se juntarmos as invertidas de jogo e os lançamentos, são quase 73% de aproveitamento nos lances por elevação.

Claro, que não dá para negar que ele dá passes de pouca objetividade, mas em um sistema de posse de bola que o Flamengo costuma atuar, principalmente quando estamos empatando alguma partida, passes de “segurança” nunca são inúteis e muito menos um volante que se preocupe mais com a parte defensiva. Ainda mais em um time que cria muitas oportunidades, mas desperdiça a maioria delas.

Outra crítica é de que o jogador “se esconde” em campo e de fato alguns vídeos mostram um lance ou outro que ele não dá opção, mas isso acontece esporadicamente. O que Márcio mais faz é pedir bola para um dos zagueiros, sempre buscando auxiliar na saída de jogo, funcionando às vezes quase como um terceiro zagueiro, ou fazendo a cobertura pela esquerda.

Mapa de calor mostra posicionamento de Márcio Araújo (embaixo) e Arão (cima). Quando o a defesa está recomposta, Márcio toma mais conta do corredor esquerdo e Arão do direito. quando o camisa 5 vai ao ataque, Márcio Araújo fecha mais ao centro

Fora toda a eficiência tática e não deixar a desejar tecnicamente, Márcio Araújo é um jogador extremamente raçudo, corre o jogo inteiro, inclusive cobrindo eventuais espaços deixados pelos seus companheiros de equipe e pega boa parte dos rebotes dados pela defesa, como no gol de Guerrero na partida contra o América (Não mostra no vídeo, mas na ocasião, o volante arrancou com a bola da saída da grande área, até passar do meio de campo). Tudo isso cometendo poucas faltas e recebendo poucos cartões. Talvez seja isso que desperte alguma desconfiança da Nação com o jogador.


Nos últimos anos, tivemos volantes pouco privilegiados tecnicamente. Apesar de contribuírem muito com a equipe com desarmes, cobertura defensiva, além de muita vontade, os cabeças-de-área erravam muito passe e confundiam raça com violência. Jonas, Cáceres, Amaral, Toró, Airton, Willians (No caso de Toró e Willians, muitas vezes não atuavam como primeiro volante). Todos os volantes citados marcavam muito, davam carrinho, chegavam muito duro nos adversários, mas todos eles de modo geral, exceto Airton, erravam muitos passes (o que é pior que dar passe para o lado), e em algum momento foram muito queridos pela torcida.

Cuellar (ao fundo), é muito pedido pela torcida para assumir a posição de Márcio Araújo. Mas o mesmo já admitiu que prefere atuar na posição que jogava no Junior Barranquilla, seu clube anterior

Márcio não chega duro igual aos volantes citados. Geralmente ele acompanha a jogada até o final e dá o bote na boa, quando o adversário menos espera. Ele não dá carrinho e vibra para torcida na sequência. É um volante raçudo, mas vibra pouco e tem um estilo de jogo menos agressivo. Em compensação ele quase não erra passes, embora há quem diga isso, ao crucifica-lo pelo erro do passe em 2015 contra o Vasco, que resultou em um pênalti inexistente e consequentemente a nossa eliminação. Mas um ano antes ele fez o gol do título, contra o mesmo Vasco. De qualquer forma, Márcio deve ser julgado pelo atual momento e ele definitivamente não merece críticas em 2016.

Araújo é como um funcionário de alguma empresa, que não arrisca tanto, que se limita a fazer o seu trabalho, mas o faz com perfeição. Dificilmente vai ascender a um cargo de grande relevância, mas sua importância é reconhecida pelas pessoas ao seu redor. Dentro de campo, seu chefe (Zé Ricardo) e companheiros de time reconhecem sua contribuição. Até Cuéllar, que chegou cotado para assumir a posição e fazer a torcida “se livrar” de Márcio Araújo, admitiu que se sente melhor atuando de segundo volante, ao lado de Márcio.

Talvez falte algo diferente, mesmo que negativo. Márcio é eficiente, mas não dá carrinho, não é gringo, não é canhoto, não é alto, não é baixinho e ainda tem um nome “feio” para jogador. Ele faz o famoso “feijão com arroz”, às vezes com algum tempero. É um jogador “sem graça”, pois erra pouco e acerta muito o simples. Não lhe falta, nem sobra preciosismo, mas sua contribuição para o time é incrível e por tudo isso, Márcio Araújo é o nosso volante ideal.



Obs: Texto escrito antes da partida contra Sport, os números podem estar um pouco defasados e apesar da má atuação do camisa 8 perante ao time de Recife, a ideia do texto continua a mesma. 



Crédito das fotos: Gilvan Souza/Flamengo e Footstats

Nenhum comentário:

Postar um comentário