quinta-feira, 1 de setembro de 2016

[PÓS-JOGO] Flamengo 3 x 1 Figueirense | Copa Sul-Americana


"Que exibição!". Esse deve ter sido o seu pensamento quando Wilson Lamouroux soou o apito pela última vez na partida. Vontade, raça, determinação, organização, paciência, ontem o Flamengo demonstrou aspectos de um time pronto. A intensidade demonstrada na partida de ontem, mesmo com um a mais, não era simples imprimir um ritmo daqueles, afirma o Flamengo como time moderno, e dificílimo de ser batido. Se você estiver em nossa página principal, por favor, clique em "leia mais" e veja toda a análise da partida.






Flamengo jogando no 4-2-3-1. Já o Figueirense alternava entre 4-3-2-1 e 4-2-3-1, com a subida de Ferrugem pela esquerda.










Fase Ofensiva Flamengo/Defensiva Figueirense
Fase Defensiva Flamengo/Ofensiva Figueirense.



A partida começa com um susto, o gol de Rafael Silva, aos 6 minutos de jogo, Um misto de desatenção e méritos da equipe do Figueirense. O figueirense subiu a marcação, pondo 6 jogadores no campo do flamengo, obrigando Rafael Vaz a dar um chutão para frente, que foi rebatido pela zaga catarinense, e acabou sobrando com Rafael Silva, que ganhou 3 divididas, contra Willian Arão, Vaz e Rever, e saiu na cara de Alex Muralha, concluindo para o gol.



Poderia ter sido um impacto gigantesco no ânimo do Flamengo, afinal de contas, nem o mais pessimista dos flamenguistas esperava levar um gol logo de cara, e o próprio time já sofreu com esse impacto, como na partida contra o Corinthians, por exemplo. Porém, os jogadores não se abateram, e rapidamente se recolocaram na disputa, com o gol de Éverton. Foi literalmente um golaço, não só pela conclusão espetacular, por cobertura, dada pelo camisa 22. A jogada começa com Diego, que acha Everton entre as linhas de zagueiros e meio campistas do Figueirense, ele tabela rapidamente com Gabriel, entra na área, e com um leve toque encobre o goleiro. Você pode rever o gol no vídeo abaixo:


Já o segundo gol surge de uma cobrança de falta. Diego lança a bola na área, a zaga afasta, Jorge pega o rebote, limpa dois marcadores, e dá um tiro de canhão rumo ao gol. Um golaço do extremamente talentoso e promissor lateral do Flamengo.


A Expulsão de Rafael Silva

A expulsão de Rafael Silva, após receber o 2º cartão amarelo, aumentou o massacre de do Flamengo sobre Figueirense. Nos primeiros minutos após a expulsão, o time catarinense ainda conseguiu resistir, mas com o cansaço de Carlos Alberto, o Figueirense ficou com 3 a menos na marcação, Rafael Silva, expulso, e Rafael Moura e Carlos Alberto por não conseguirem acompanhar a subida dos laterais do Flamengo, especialmente Pará.
A estratégia do Figueirense, tentar se defender no 4-4-1. Com o passar do tempo, Carlos Alberto deixou de fazer sua função defensiva.


 Como o Flamengo aproveitou o jogador a menos do Figueirense ?? Simples, rodando a bola, usando da amplitude dada pelo seu esquema, como demonstrado no esquema abaixo.


O 3º gol tem muito mérito de Fernandinho. Após as mexidas de Tuca Guimarães, o Figueirense tentou minimizar o efeito do homem a menos na fase defensiva do jogo. A jogada começa com a inversão de jogo, de Pará, passando por Alan Patrick, chegando a Jorge. Mesmo com esse movimento, a defesa do Figueirense ainda estava ben postada. Jorge passa a bola para Fernandinho. Ai entra o fator individual. Na finta, ele consegue enganar seus dois marcadores, e acertou um chute de rara felicidade.




Observe o elevado número de passes trocados pelo Flamengo, devido a paciência apresentada ontem, pra rodar a bola e achar o espaço na defesa do Figueirense, quando tinha um jogador a mais. Como destaque negativo temos o elevado número de cruzamentos errados, o sistema de Ze Ricardo da muita liberdade aos laterais, pois o pontas cortam pra dentro e deixam um corredor aos laterais, que podem subir e cruzar com mais facilidade. Nesta partida o Flamengo bateu o seu recorde de finalizações a gol no ano, alcançando 11 chutes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário