terça-feira, 25 de outubro de 2016

(Análise Pós-Jogo) Flamengo x Corinthians: Um balde de água fria.

A volta ao Maracanã não foi muito auspiciosa para o Flamengo. O empate em 2x2 contra o Corinthians diminuiu de maneira significativa as chances de título do rubro negro, além de pôr em risco o 2ºo lugar do campeonato. Foi uma atuação ridícula do sistema defensivo do Flamengo, que é o principal ponto de equilíbrio da equipe (O Flamengo tem a 4ª defesa menos vazada do campeonato, empatado com o São Paulo). A festa da volta foi incrível, mosaico, a cantoria. A única mancha foi a lamentável confusão da torcida do Corinthians com a polícia.
Foto do lindo mosaico feito pela torcida.

 Se você estiver em nossa página principal, por favor, clique em "leia mais", e confira a análise completa.

Zé Ricardo surpreendeu ao escalar Mancuello e Emerson Sheik como titulares, visando um controle da posse de bola e uma presença de área mais efetiva. Ofensivamente, até que foi um desempenho razoável, o time criou boas chances no primeiro tempo, embora o gol tenha saído de uma bola parada e em impedimento.
Escalação do Flamengo. Um 4-4-2 que variava pra 4-2-3-1, dependendo da movimentação de Emerson Sheik.

Defensivamente, foi um retumbante desastre. Não teve cobertura, o Corinthians teve muitas chances mano a mano contra os defensores do Flamengo. Mancuello e Emerson foram muito ineficientes na recomposição, então as linhas defensivas ficaram muito espaçadas. O Corinthians conseguia sair muito rapidamente ao ataque, com passes verticais.
O Corinthians achava muito espaço entre as linhas, havia um enorme buraco entre a linha de zaga e a linha dos volantes. è bem mais fácil recompor e compactar as linhas com jogadores rápidos pelos lados.


Algumas situações onde podemos notar o buraco entre as linhas do Flamengo.
No lance do 1º gol do Corinthians, note o espaço existente. Os atacantes ficaram no mano a mano com os zagueiros. Note Willian Arão e Márcio Araújo, bastante adiantados ainda. 

Contudo, as situações de mano a mano surgiam também por mérito do Corinthians, que soube tomar proveito da recomposição devagar do Flamengo. Os passes verticais quebravam as linhas de marcação, e encontravam os atacantes em ótima posição.
(1/3) Note aqui as linhas do Flamengo bem adiantas, pois a recomposição era bastante devagar.
(2/3) Sem receber nenhum tipo de pressão, Willians teve bastante liberdade pra lançar a bola em profundidade, achando o companheiro em boa posição.



(3/3) Após o lançamento, olhe o espaço que Corinthians teve pra trabalhar, com superioridade numérica até.
Individualmente, Guerrero e Sheik foram bem. Sheik criou boas chances, principalmente no 2º tempo.  Guerrero participou muito bem do jogo, fez os dois gols, talvez por conta da presença de Sheik mais próxima a área,
Guerrero comemorando o seu primeiro gol na partida.


Falando da parte ofensiva do time, funcionou de maneira mais eficiente no 2º tempo, com a entrada de Fernandinho no lugar de Mancuello, e o cansaço do time do Corinthians também. Vimos um Flamengo, ao menos ofensivamente, mais parecido com o habitual. Com jogadas de ultrapassagem dos laterais, nos espaços que apareciam quando um ponta cortava pro meio da área.
Configuração tática do 2º tempo.

  A próxima partida do Flamengo é no sábado, em Belo Horizonte, contra o Atlético-MG, confronto mais que direto, pensando em vaga direta pra libertadores e no título.

Nenhum comentário:

Postar um comentário