quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Interferência externa


Anulem o jogo!

Eu vi interferência externa na partida contra o Internacional!

Na verdade, eu e toda a massa rubro-negra, ao longo desse final de semana, fomos amplamente acusados de algum tipo de corrupção. Como se o árbitro tivesse apanhado, no meio do calor e nervosismo que só um clássico pode oferecer, um celular para visualizar, na transmissão, se sua atitude foi a correta ou não.


Como se fosse um circo armado. Até imagino o Sandro Meira Ricci se reunindo com o Eduardo Bandeira e com Rodrigo Caetano numa sala às escuras para discutir qual deve ser o comportamento da arbitragem e quais devem ser os procedimentos a serem tomados em resposta para as diversas situações que o jogo pode se encontrar. E imagino também que esse filme deve se passar na cabeça de cada um dos conspiradores que pensam que é tão simples assim. Que encontram essa idealização como resposta para um problema e uma situação que não devem ser analisados de forma tão rasa. Bem, queria ver o quanto de dinheiro tinha na mala preta  que Andre Luiz de Freitas Castro recebeu para expulsar Márcio Araújo no jogo contra o Palmeiras. Penso até que o Bandeira, sujo do jeito que é, gozou de seus contatos para imprimir dinheiro direto do Banco Central e entregar nas mãos de Heber Roberto Lopes. Ter expulsado Zé Ricardo e deixado Fagner ileso após entrada que lesionou Edersón até os dias de hoje foi só um lance de jogo... Penso também nas regalias oferecidas a Dewson Fernando Freitas da Silva por conta do pênalti no último minuto não marcado contra o Flamengo a favor do Santos. Canalhas! Os cartolas rubro-negros estão destruindo o futebol!

Os conspiradores que acusam qualquer tipo de interferência externa deviam sair das telas do computador para assistir a um dos destaques da rodada. O Beira-Rio foi palco das duas piores interferências externas e não estou vendo ninguém se manifestando quanto a isso!

A primeira delas, devo ressaltar, é o retrospecto histórico. Todos sabemos que o Flamengo simplesmente não se encontra quando joga no Rio Grande do Sul. Creio que o jogo do ano passado - o que Guerrero marcou na estreia - foi um ponto fora da curva. A impressão que passa é que nem um processo de rejuvenescimento, ou melhor, RETORNO AO TEMPO dos jogadores que compuseram o lendário time de 1981 seria capaz de interromper o ímpeto de Internacional ou Grêmio. Que fosse na Arena Grêmio ou no Beira-Rio mesmo. Parece que jogadores rubro-negros sempre tentam provar um chimarrão que os destrói. Parece que um som do Teixeirinha tira todos eles da zona de conforto! E digo que nas circunstâncias atuais, Zico, Adílio, Júnior, Leandro sucumbiriam perante às camisas vermelhas, azuis, brancas e pretas que estariam defendendo as cores verde, vermelha e amarela da bandeira gaúcha. E vou além: coloque um manto rubro-negro no elenco brasileiro da Copa do Mundo de 1970 e, após um jogo disputado, arrebatado e suado, ainda é provável que Vitinho aniquilasse Félix, Sasha entortasse Piazza e Brito e Geferson colocasse Carlos Alberto Torres no bolso!

A segunda é a mais COVARDE de todas (quando é contra o meu time, óbvio): a torcida gaúcha. Celso Roth se torna impotente, fraco, ridículo perante o torcedor colorado, que quando sofreu o primeiro gol, não se sentiu acovardado perante o vice-líder e se uniu ao seu time para buscar a improvável virada. Os jogadores flamenguistas, que estavam mandando bem até então, se encolheram, passaram a jogar de forma nervosa, desanimaram. Enquanto isso, os jogadores vermelhos e brancos tiraram raça, esforço, suor de onde não tinham mais e pressionaram um dos melhores times do campeonato. Não vou dizer que o Internacional colocou o Flamengo em seu devido lugar. Soa como se o time colorado fosse MUITO melhor. Mas a sensação é que o Flamengo tentou fazer uma gracinha num lugar e em circunstâncias que o elenco, motivadíssimo pela TORCIDA, não podiam permitir.

ESSES DOIS FATORES que podem ser configurados como uma interferência externa DESGRAÇADA. A força do Inter e o temor do Flamengo perante os pampas.

Cobro aqui a anulação da partida! Total desrespeito da CBF para com os clubes!

O Flamengo não vai desistir do campeonato. Digo até que o desafio mais difícil - um time gaúcho no Rio Grande do Sul - já passou.

E o Internacional, empurrado pela sua torcida, continuará sendo um dos 5 times a não ser rebaixado no Campeonato Brasileiro.

Um comentárioTeste: