segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Darío Conca: O que podemos esperar?


Segundo reforço anunciado pelo Flamengo, o meio campista Dario Conca está de volta ao futebol brasileiro. Após passagens por Vasco e Fluminense, clube onde é considerado ídolo, o meia vai defender as cores do Flamengo nessa temporada. O jogador ainda se recupera de uma ruptura no ligamento cruzado do joelho esquerdo, que ele sofreu em agosto de 2016. A recuperação é demorada, porém o Flamengo confia no Centro de Excelência em Performance para recuperá-lo totalmente. Se você estiver em nossa página inicial, por favor, clique em "Leia Mais" e leia o resto do texto.

Nascido em General Pacheco, na Argentina, Conca começou nas categorias de base do River Plate. Porém, foi dispensado do clube “millionario” e ingressou nas categorias de base do Tigre, clube de coração do meia. Foi no Tigre que Conca estreou como profissional, em 1998, com apenas 15 anos, em partida válida pela segunda divisão do Campeonato argentino. Após estrear como profissional, o River o recontratou para as categorias de base. Após uma fratura da perna direita, na preparação para o Mundial sub-20 de 2003, Conca parou por mais de 6 meses, e foi emprestado pelo River para a Universidad Católica – CHI (Rival do Flamengo na Libertadores – 2017). Foi no clube chileno que Conca começou a se destacar, principalmente na Copa Sul-Americana 2005, onde conduziu o clube até as semifinais do torneio, e marcou 15 gols em 85 jogos pela Universidad Católica.
Foto de Conca já com os profissionais, com apenas 15 anos.

Após o término do empréstimo à Universidad Católica, Conca foi emprestado ao Rosário Central. Lá teve passagem discreta, e atuou em apenas 11 jogos. Após o término da passagem pelo Rosário, ele foi negociado pelo River Plate com o Vasco, em 2007. Lá, começou a ter destaque, fez 8 gols em 50 jogos. Como só tinha contrato válido por um ano com o Vasco da Gama, e o River só aceitava negociar o jogador em definitivo, então o Fluminense se aproveitou, entrou em acordo com o River Plate, e anunciou a contratação do meia. Em sua primeira passagem pelo Fluminense, que durou de 2008 até 2011, Conca disputou 207 partidas, fez 39 gols e deu 42 assistências. Ganhou o campeonato brasileiro de 2010, sendo eleito como o melhor jogador do campeonato.
Dario Conca com a camisa do Fluminense.

Como todo esse destaque, Conca chegou a atrair interesse de times europeus, como Sevilla e Palermo, porém saiu do Fluminense em 2011 com um destino um tanto inusitado: A China. Na época, a China era um mercado mais alternativo do que é hoje, simplesmente não se tinha a menor ideia de como era o campeonato de lá. Mesmo assim, Conca se transferiu para o Guangzhou Evergrande, onde ficou de 2011 até 2013, sendo o 3º jogador mais bem pago do mundo. Pelo Guangzhou, Conca disputou 99 jogos, fez 54 gols e deu 38 assistências. Foi campeão do campeonato chinês em 2011, recebeu o prêmio de melhor meio campista do campeonato e virou ídolo do clube.

Conca no Guangzhou.
Em 2014, voltou ao Fluminense. Numa passagem menos brilhante que a anterior, e abreviada pelo rompimento do Fluminense com a patrocinadora Unimed. Na segunda passagem, conca disputou 62 jogos, fez 16 gols e deu 5 assistências. Por motivos financeiros, Conca foi vendido ao Shanghai SIPG, mesmo com vontade de ficar no Brasil. Em sua primeira temporada em Shanghai, foi o 2º jogador com mais assistências do Campeonato chinês, com 13. Porém, em agosto de 2016, sofreu grave lesão, que o afastou dos gramados. Agora, chega ao Flamengo, buscando se recuperar, e brigar pelos títulos que disputar nessa temporada.
A lesão de Conca aconteceu nesse momento. Ele fez o gol, tocando a bola por cima do goleiro, mas pancada do Goleiro no joelho dele rompeu o ligamento cruzado.

Conca é um jogador de habilidade ímpar. Visão de jogo, dribles, finalizações, todos os fundamentos ofensivos muito bem trabalhados. Ele pode executar muitas funções no meio de campo. Observe:

- Ponta Construtor pela Esquerda:
Conca pode ser o ponta pela esquerda, construindo ou finalizando jogadas. O estilo de jogo dele coincide muito bem com o de Diego, que é mais de condução da bola. Temos que lembrar que no esquema de Zé Ricardo, os meio campistas se movimentam quase que incessantemente, confundindo a marcação adversária.

- Ponta Construtor pela Direita:
Segue o mesmo princípio da função anterior, mas com Éverton, que rende melhor na esquerda no lugar de Berrio. A movimentação dos meio campistas, aliados a qualidade técnica, irão confundir bastante a defesa adversária.

- Meia armador Central:
Formação no formato do time 2016 de Zé Ricardo, com 2 pontas velozes, que buscam mais a linha de fundo do que centralizar. Conca pelo meio teria a função de organizar as jogadas e acionar os atacantes ou laterais pelas pontas, jogada forte no ano passado.

- Dupla com Diego no esquema “Árvore de Natal”:
O 4-3-2-1 é conhecido como esquema árvore de natal, e ficou muito famoso com o Milan de Carlo Ancelotti. Com teoricamente 3 volantes, os dois meias de criação teriam mais liberdade pra criar as jogadas, contando com as subidas pelos lados dos próprios volantes ou dos laterais. 

- Dupla com Diego no “4-4-2 Clássico”:
Esse esquema pode ser uma opção para momentos de abafar o adversário e partir pro tudo ou nada. Com dois centroavantes, os dois meias tenderiam mais para os lados, podendo ou centralizar a jogada ou partir pra linha de fundo. Zé Ricardo usou algumas vezes esse sistema no ano passado, com Alan Patrick fazendo a função do 2º meia.

Pontos fortes:

Conca é um jogador de técnica e habilidade absurdas, então veremos quais são seus pontos fortes:

- Passes-Chave e enfiadas de bola:
Conca é um jogador de técnica de passe excepcional, quase sempre encontra ou deixa os companheiros em melhor posição para melhor seguimento da jogada. Veja essa assistência de Conca:


- Drible:
O drible curto é uma das melhores armas de Conca. Bastante habilidoso, o meia consegue aliar agilidade e pensamento rápido para sair de marcadores com extrema facilidade.
Conca fez só isso ai com o Wallace.

- Faltas e Escanteios:
Conca bate muito bem na bola, pode ser arma em jogadas ensaiadas de faltas ou escanteios, ou em cobranças de falta diretamente ao gol.

- Chutes de Fora da Área:
Outra grande arma de Conca são os chutes de fora da área, ele tem muita força e precisão nesse tipo de finalização. Pode ser uma saída contra adversários muito fechados.

- Poucas lesões sérias:
Essa lesão sofrida no Shanghai foi a única lesão muscular realmente grave que ele teve. Disputou todas as partidas do campeonato brasileiro de 2010, e bateu recorde de partidas do brasileirão em sequência, 52, contando os jogos do brasileirão de 2010 e 2011 (Por sinal, outro jogador que chegou a esse recorde foi o Lateral Renê, recém-contratado pelo Flamengo). 

Pontos Fracos:

Conca é um jogador de baixa estatura, e sem muita força física. Como joga no meio de campo, isso não o atrapalha tanto, pois consegue se virar muito bem com habilidade e agilidade.

Em resumo, Conca foi uma aposta do departamento de Futebol. Trata-se de um craque, acima da média dos jogadores do futebol brasileiro. A lesão pode tirar um pouco da mobilidade e do ritmo de jogo, porém, o Flamengo investiu muito no centro de performance, justamente para aproveitar o máximo potencial de seus jogadores. Nos resta esperar até sua volta, para avaliar como Zé Ricardo vai encaixá-lo na equipe, uma vez que Mancuello começou muito bem na função de ponta-construtor. Quem ganha com isso é o Flamengo, com muitas opções de qualidade para disputar todas as competições da temporada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário