segunda-feira, 5 de junho de 2017

Éverton Ribeiro: A peça que faltava

Sexto reforço do Flamengo para temporada 2017, o meia Éverton Ribeiro está de volta ao futebol brasileiro após duas temporadas no futebol árabe. Ele se destacou no Cruzeiro entre 2013 até o começo de 2015, sendo bicampeão Brasileiro (2013-2014) e eleito melhor Jogador do campeonato nos anos em questão. Ele chega com status de craque e com lugar no time titular praticamente garantido, mas sabe que a concorrência é grande: Diego, Conca, Mancuello, Ederson, Matheus Sávio e Lucas Paquetá também brigam pelas vagas no meio de campo. Se você estiver em nossa página inicial, por favor, clique em "Leia Mais" ou no título do texto, e confira toda a análise.
Éverton Ribeiro jogando pelo Corinthians.
Nascido em Santa Isabel – SP, Éverton começou no clube da cidade, o Santa Isabel Futebol Clube. Depois, foi para a categoria de base do Corinthians, onde jogou de lateral esquerdo e ganhou uma Copa São Paulo de Juniorees. Subiu aos profissionais em 2007, porém não teve muitas oportunidades e foi emprestado ao São Caetano. Foi no São Caetano que Éverton Ribeiro começou a jogar no meio de campo. Se destacou no Azulão, e foi convocado para seleção Brasileira sub-20, que conquistou o Sul-Americano da categoria em 2009. Em 2011, foi vendido ao Coritiba, tendo disputado apenas 9 jogos pelo Corinthians. No Coritiba engrenou, e começou a se destacar nacionalmente, levando o clube paranaense duas vezes até a final da Copa do Brasil, sendo vice-campeão nas duas. Foram 81 jogos pelo Coritiba, onde marcou 20 gols e deu 8 assistências.
Éverton Ribeiro jogando pelo Coritiba.
Em 2013, chegou ao Cruzeiro, por indicação do treinador Marcelo Oliveira que havia trabalhado com ele no Coritiba. No Cruzeiro explodiu de vez. O estilo de jogo dele chamava bastante atenção, com muitos dribles, passes e lances espetaculares. Em 2013, disputou 59 jogos, marcou 15 gols e deu 16 assistências na temporada (Foi o jogador que mais deu assistências no Campeonato Brasileiro), e foi eleito o Craque do Brasileirão, comandando o Cruzeiro na campanha do título.
Em 2014 repetiu as grandes atuações, e novamente ganhou o Prêmio de Craque do Brasileirão. Disputou 59 jogos, marcou 9 gols e deu 19 assistências na temporada. O desempenho foi tão espetacular que lhe rendeu convocações à Seleção Brasileira, e propostas de grandes times europeus, como o Milan.
Éverton Ribeiro jogando pelo Cruzeiro. Foto no lance do gol antológico marcado contra o Flamengo pela Copa do Brasil 2013.
Em fevereiro de 2015, Éverton Ribeiro foi vendido ao Al-Ahli por 9 milhões de Euros (26 milhões de Reais na época). No Al-Ahli ganhou 4 títulos, 2 Supercopas dos Emirados Árabes (2014 e 2016), uma Copa Nacional (2017) e um Campeonato Emiradense (2015). Também foi eleito melhor meia do Campeonato árabe. Disputou 106 jogos, marcou 27 gols e deu 25 assistências.
Éverton Ribeiro jogando pelo Al-Ahli.
Posicionamento em Campo:
Éverton é um meia de extrema habilidade. Rende muito bem nas três funções do esquema 4-2-3-1, com seus dribles e passes.

- Meia Armador:
Era a função que vinha desempenhando no Al-Ahli. Ele tinha muita liberdade pra cair para ambos os lados também.
- Ponta Construtor pela Direita:
Função em que brilhou no Cruzeiro. Também com bastante liberdade para cair em outros lugares no meio de campo, mas com a possibilidade de trazer a bola da extremidade do campo para dentro, abrindo espaços na defesa adversária.
- Ponta Construtor pela Esquerda:
Função que desempenhou no começo da carreira, quando saiu da lateral esquerda para jogar no meio de campo. Ele perde um pouco da facilidade para trazer a bola para o centro do gramado, mas ganha na possibilidade de fazer cruzamentos mais precisos.
Dá para encaixar Conca, Diego e E. Ribeiro?
Essa é uma pergunta recorrente entre os torcedores, afinal de contas, todo mundo gosta de ver craques em campo. De dar, dá. Mas seria preciso algumas adaptações no esquema, como laterais mais presos, volantes cobrindo uma área maior, e, principalmente, um esforço maior dos 3 meias para ocupar espaços no momento defensivo, também contando com a ajuda do Guerrero. Veja algumas opções para jogar com eles três:

- 4-2-3-1:
Éverton Ribeiro e Diego teriam que ser bastante incisivos com a bola, e também na movimentação em busca de espaços.
- 4-1-4-1:
Exigiria uma participação maior do Guerrero fora da área, algo que ele faz muito bem.

Pontos Fortes:
É impressionante a habilidade do E. Ribeiro. O jeito que ele leva a bola, quase presa ao pé, mata os defensores adversários.
Gol antológico contra o Flamengo. Chapéu em Luiz Antônio e uma finalização perfeita.
- Dribles:
O jeito que ele leva a bola presa ao pé deixa os adversários perdidos. Veja como ele conseguiu se livrar de 3 adversários, e passar a bola pra um companheiro livre.

- Lançamentos:
A visão de jogo dele é muito boa. Consegue achar um companheiro melhor posicionado com muita facilidade.

- Passes-Chave:
Outro fundamento bem trabalhado que ele tem. Mesmo em velocidade acha os companheiros entre as linhas adversárias.

- Controle de Bola:
Notem como mesmo encaixotado na defesa adversária, ele protege, ajeita o corpo, e consegue fazer o gol.

- Bolas paradas:
Ele tem muita precisão em cobranças de falta e escanteios. Flamengo ganha mais um bom batedor.

Pontos Fracos:
- Finalização:
Não é que ele seja muito ruim, mas levando em conta toda a habilidade e técnica que ele possui, ele poderia ter uma finalização muito mais apurada.

Números na Temporada 2016/2017:
Na temporada 2016/2017, Éverton disputou 39 partidas, fez 9 gols e deu 11 assistências. (Números contando com amistosos.)
Golaço pelo Al-Ahli. Dessa vez, o chapéu foi no goleiro.
Éverton Ribeiro é uma grande oportunidade de negócio que o Flamengo conseguiu fechar, por 18 milhões de reais.. Jogador de altíssimo nível, chega pra fazer uma função que Zé Ricardo buscou com Mancuello, um ponta construtor de jogo, e que ele desempenhou em altíssimo nível no Cruzeiro. Também ganha a possibilidade de quebrar linhas com dribles, por muitas vezes o Flamengo engessa bastante o jogo, tocando bastante a bola de lado, por não conseguir quebrar as linhas adversárias. Além disso, ganha mais um jogador referência, que mete respeito nos adversários. Chega em um momento importante do clube, que busca a recuperação após a eliminação da Libertadores, e carrega grandes expectativas nas caminhadas na Copa Sul-Americana, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário