quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Inabalável

Mutilado, desfigurado. Eu já reclamei, e muito! Você também. 

Não é o mesmo lugar. Muito dos antigos frequentadores, também não entram mais. Não é qualquer um que pode entrar no Maracanã.

O flamenguista apaixonado sentiu. Em certos jogos, percebíamos uma certa frieza. Não existia nada de gelado em uma torcida marcada por inflamar 90 minutos como uma forte chama vermelha saindo de brasas negras. Sempre apoiando, e vez ou outra, dando aquela cornetada.  

A saudade, nostalgia de outrora são enormes. Até quem nunca viu de perto sente no íntimo e conhece a história como se a tivesse vivido. Não há discussão. A metamorfose estética e física é clara como a vitória de ontem.

"Deixou chegar". "A maior torcida do mundo". 

Cem mil torcedores mais de cem vezes. Uma robustíssima história de encantos, beleza, Amor e paixão. Capaz de transformar o impossível em algo palpável.

Mas algo continua intacto. Ontem, o Maraca resplandeceu com a cor que ele mais gosta. Uníssono, ecoava os cantos da maior torcida do mundo. Veio à tona algo que nunca morreu.

Não importa a capacidade. A energia que emana de tudo que foi ali vivido e do que genuinamente é o Estádio Mário Filho. 

Está ali! Límpida, pura, cristalina e acima de tudo rubro negra. Assim é a ALMA do Maracanã. E Alma é inabalável. Não deforma, não mutila e não é afetada por futilidades. Basta um pouco de sensibilidade para desfrutar de tudo isso na arquibancada e sair rouco no fim da partida. E ninguém faz isso como a gente.

Ele vibra, ele é fibra, muita libra já pesou. Muita libra pesa, e sempre vai pesar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário