segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Reinaldo Rueda: O comandante

Novo treinador do Flamengo, Reinaldo Rueda Rivera é um colombiano nascido em Cali, em 1957. Após uma sequência de bons trabalhos, coroado com o título da Libertadores 2016 com o Atlético Nacional, Rueda alcançou o merecido status como um dos melhores treinadores da América do Sul. Se você estiver em nossa página inicial, por favor, clique em "Leia Mais" ou no título do texto e confira toda a análise.

Rueda é formado em educação física pela Universidade Del Valle, da Colômbia. Fez sua pós-graduação na Escola Superior de Esportes, em Colônia, na Alemanha, onde se tornou instrutor após o término da pós. Começou sua carreira como treinador no Cortuluá, em 1994. Em 1997, assumiu o Deportivo Cali. Após período sabático, assumiu o Independiente Medellín, em 2002. O bom trabalho no Independiente levou a Federação Colombiana convidá-lo a treinar a seleção sub-20 do país. Levou a geração sub-20 às semifinais do Mundial da categoria em 2003, melhor campanha do país num mundial da categoria.
Rueda trabalhando no Cortuluá, primeiro time que ele dirigiu.
Com o bom desempenho no sub-20, e a forte crise que assolava a seleção principal, Rueda foi convidado para assumir a seleção principal da Colômbia, e fez grande trabalho também. Pegou um time que tinha feito apenas um ponto em quatro jogos e por pouco não o classificou para a Copa do Mundo da Alemanha em 2006, ficou apenas um ponto atrás do Uruguai, que foi o último classificado nas eliminatórias para o torneio.
Rueda e geração colombiana que fez história no Mundial sub-20 de 2003.
Em 2007 foi contratado pela Federação Hondurenha de Futebol, com o projeto de levar o país à Copa do Mundo da África do Sul, em 2010. E ele conseguiu levar a Seleção Hondurenha, após 28 anos de ausências em mundiais. Após a Copa do Mundo de 2010, foi contratado pela Seleção Equatoriana, também com o projeto de classificar o país para a Copa do Mundo, projeto em que também teve êxito, levando a Seleção Equatoriana à Copa do Mundo do Brasil.
Rueda trabalhando na Seleção Equatoriana
Em 2015, voltou a trabalhar em clubes, no Atlético Nacional teve a missão de substituir Juan Carlos Osório, que fez bom trabalho, e elevar o patamar da equipe. Novamente obteve êxito, conquistando tudo com o clube colombiano, inclusive a Copa Libertadores de 2016, com um time que tinha estilo de jogo bonito e moderno, que encantou e dominou a América do Sul. Foi eleito o melhor treinador da América do Sul em 2016 pela Conmebol.
Rueda levantando a Taça Libertadores conquistada em 2016 com o Atlético Nacional.
Perfil:
O 4-2-3-1 utilizado por Rueda adequado aos jogadores do elenco atual do Flamengo. Existe também a possibilidade de Arão ganhar vaga no meio de campo, caso volte a atuar no nível da temporada passada. Também há a possibilidade da utilização de apenas um meia, usando outro ponta de velocidade na linha de 3.

- Esquemas Táticos:
O esquema tático favorito de Rueda é um misto entre 4-2-3-1 e 4-1-4-1. Foi o mais utilizado no Atlético Nacional e na Seleção Equatoriana. Com muita posse de bola e ofensividade, controle da partida através do jogo posicional, ataque baseado na aproximação dos jogadores, sufocando a equipe adversária, muita movimentação dos jogadores e triangulações. A formação de triângulos no setor do meio de campo é o que facilitava pro Atlético Nacional jogar por dentro do gramado, mesmo contra adversários mais fechados. Para executar as triangulações, os dois laterais vão para o ataque ao mesmo tempo, os pontas centralizam, e um dos volantes sobe e compõe uma linha com o meia armador da equipe. Com essa ocupação densa do meio de campo, trabalhar a bola fica muito fácil, assim como envolver o adversário.
Movimentação ocupando espaço no meio de campo, aproximando o time e criando apoios para a criação de jogadas.
Não menos importante que o sistema ofensivo, o sistema defensivo do Nacional campeão da Libertadores 2016 também era muito bom, mesmo compeças de qualidade contestável, como o capitão Henríquez. Sempre buscando ter superioridade numérica no espaço de jogo em relação ao adversário. O resultado de um equilíbrio tão bom entre defesa e ataque foi que o  Atlético Nacional foi campeão da Libertadores tendo melhor ataque e melhor defesa do torneio.
No Atlético Nacional, variava muito a formação entre ter dois jogadores mais técnicos na linha de 3 do 4-2-3-1, no caso eram Guerra e Mcnelly Torres, e um jogador técnico e dois jogadores de maior velocidade, no caso, Berrio e Marlos Moreno.
Reparem a flutuação dos jogadores do time, especialmente dos meio campistas, afim de que sempre ter superioridade numérica em relação ao adversário.
- Estudos:
Rueda é muito ligado aos estudos. Frequentemente faz cursos de atualização tática sobre futebol. Após sair do Atlético Nacional e antes de aceitar a proposta do Flamengo, estava na Alemanha, participando de cursos de intercâmbio entre treinadores. Ele conhece muito de esquemas táticos, gosta de estudar a fundo os adversários, e adaptar a escalação e formação tática do seu time de acordo com o adversário, assim utilizando da melhor maneira possível o seu elenco, sempre tendo vantagem sobre o adversário.
Rueda conversando com Carlo Ancelotti em visita recente ao Centro de Treinamentos do Bayern de Munique.
Pontos Fracos:

- Meio da Temporada:
Ao chegar no meio da temporada, Rueda certamente precisará de um tempo de adaptação ao Futebol Brasileiro, mesmo ele tendo uma boa base sobre o assunto. Será necessário estudar o elenco do Flamengo, como usar da maneira mais adequada cada jogador, conhecer o adversários, esse processo de adaptação será uma barreira nos primeiros meses.

- Prazo de Validade:
Rueda não esconde que seu maior desejo é voltar a treinar a Seleção Colombiana, e ele está pra Colômbia como Tite estava pro Brasil antes de ser contratado, todo mundo sabia que ele era o melhor treinador do país e que tinha que assumir a seleção. É bem provável que após a Copa do Mundo da Rússia em 2018, ele seja convidado para assumir a Seleção Colombiana, e que ele aceite tal convite. Os outros nomes que podem assumir a Seleção Colombiana e impedir um convite a Rueda são Jorge Luis Pinto, treinador da Seleção da Costa Rica na Copa do Mundo de 2014, e Juan Carlos Osório, atual treinador da Seleção Mexicana.

- Problemas de Saúde:
Rueda sofre com alguns problemas no quadril, que o afastaram do Atlético Nacional no começo da temporada, e foi recomendado que ele diminuísse a intensidade de seu trabalho como treinador, o que pode causar períodos de afastamento das funções como treinador do Flamengo.
Rueda de muletas na volta ao trabalho no Atlético Nacional.
Rueda será o 10º treinador estrangeiro da história do Flamengo. Nessa lista, temos dois nomes com destaque: Izidor Kürschner, que era considerado um dos melhores treinadores do mundo na década de 30, e foi fundamental no desenvolvimento do futebol no Brasil. Ele inovou ao criar o sistema "WM", nome baseado no posicionamento dos jogadores em campo. Outro nome de destaque na lista de estrangeiros que treinaram o Flamengo é Fleitas Solich, uruguaio que treinou o Flamengo diversas vezes, é o 2º treinador com mais jogos na história do Flamengo.

Rueda chega com um contrato até o final de 2018, inicialmente acompanhado de dois auxiliares, Bernardo Redin e Carlos Eduardo Velasco. Existe a perspectiva de mudanças na comissão técnica permanente do Flamengo no fim do ano. Rueda tem o desafio de em pouco tempo, otimizar o jogo do Flamengo, que até tinha conceitos interessantes com Zé Ricardo, mas que não eram bem executados, o que resultou em diversos resultados frustrantes, e elevar o patamar do clube, que busca se afirmar como potência continental. Em 2017, ele terá 12 jogos de importância máxima pelo Flamengo, as fases finais da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana, já que no Brasileirão o Flamengo ficou muito atrás do líder Corinthians. Para 2018, tem a missão de planejar um elenco e forma de jogo que afirme o Flamengo como potência e favorito na Libertadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário