quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Análise Pós Jogo | Flamengo 1x0 Bangu | Não pode deixar a seriedade de lado


O Flamengo vêm de forma correta, nesse início de Campeonato Carioca, usando a ultrapassada competição regional como laboratório para testar jovens recém-subidos da base e dar ritmo aos jogadores reservas do time principal.


O nível do campeonato é tão fraco - e os jogadores da base são tão talentosos e maduros -, que mesmo assim o rubro-negro não sofre grandes ameaças dos adversários. Foi assim contra o Volta Redonda, foi assim contra a Cabofriense e não poderia deixar de ser contra o Bangu.

No primeiro tempo uma verdadeira mostra de bom futebol: passes limpos e objetivos, dribles, lançamentos precisos e etc. Os garotos, como Vinícius, Paquetá, Ronaldo e Thuler - que nunca foi destaque na base, mas vem cumprindo partidas seguras no profissional - estavam inspirados e os "medalhões" também. Pelo menos Rômulo, que fez partida exemplar e foi um dos melhores em campo e Rodinei. Renê mais uma vez mostrou que não possui nível para estar em um clube como o Flamengo.

O gol saiu aos 36' minutos: Vinícius Jr. que estava inspirado no 1º tempo, estava marcado por 3 na ponta direita, passou o pé por cima da bola, deu uma caneta em um de seus marcadores, correu para a linha de fundo e cruzou rasteiro para Lincoln - em mais uma partida apagada - concluir de carrinho para o gol.

O problema é que com o gol, a equipe do Fla foi relaxando e, de certa forma, deixando um pouco da seriedade profissional de lado. Por um lado é compreensível: time na vantagem, adversário sem agredir e torcida indo na onda e aplaudindo toda jogada de efeito. Porém, no segundo tempo, enquanto Paquetá, Vinícius e Jean Lucas abusavam de segurar a bola e tentar o "drible a mais", o Bangu cresceu e ameaçou mais o Fla, o que poderia ter resultado no empate.

Óbvio que não considero isso motivo para maiores preocupações: o torneio, como havia dito, é quase irrelevante e a partida não possuía grande importância e duvido um pouco que repetiriam o mesmo contra uma equipe de maior porte e em uma competição mais importante. Porém é bom que os garotos tenham na cabeça que o que lhes vai dar mais oportunidades são as jogadas objetivas, que ameaçam o adversário e não tentativas de jogadas de efeito que não vão dar em nada.

Dito isso, agora é continuar com o planejamento que vêm sendo feito até que pelo menos todos os titulares estejam em ritmo. Nossa próxima partida é sábado, no clássico contra o Vasco.


Nenhum comentário:

Postar um comentário