quinta-feira, 15 de março de 2018

Emelec 1x2 Flamengo | Plot Twist





A gente já tinha visto esse filme antes.


Muitas, várias, inúmeras vezes: o Flamengo começa pressionando fora de casa, cria muitas chances mas não aproveita nenhuma, é prejudicado pela arbitragem e no único suspiro do time adversário eles fazem o gol com o atacante de nome estranho que tava mal na partida. Aí o time se desespera, fica nervoso, faz faltas bobas, os jogadores líderes passam a sumir e o time perde chances claras; às vezes alguém ainda é expulso e complica ainda mais o Flamengo.

Aí o time adversário ainda faz mais outro gol. Depois da partida técnico e jogadores dão desculpas esfarrapadas, torcida passa a protestar e criticar os jogadores pagos a peso de ouro, clima no vestiário azeda, promessas são prejudicadas e o time afunda. CRISE NO FLAMENGO.

Admita, a partida de hoje parecia que seguiria esse script, o mesmo de tantas vezes antes. Ainda mais quando Angulo recebeu lindo lançamento de Quiñonez aos 19 do segundo tempo e abriu o placar no Equador. Tava na cara. Passou a parecer ainda mais quando Paquetá - cumprindo péssima jornada abusando do preciosismo - parecia perseguir o amarelo que o expulsaria de campo, aliado a insistência de Carpegiani em o deixar permanecer em campo. Ia dar errado.

Aí seria o pacote completo, além da derrota e da crise ainda se queimaria a promessa que é o melhor jogador do time no ano por causa de uma partida abaixo. Parecia que estava perdido de vez quando Dourado abusava da perna de pauzisse e errava lances fáceis. Nos fazendo perguntar todas as coisas melhores que poderíamos fazer com o dinheiro investido nele.

4 anos sem ganhar fora na Libertadores. Enfrentando um time há 14 jogos sem perder em casa...

O filme parecia desenrolar da mesma maneira que se esperava. A película seguia corretamente o velho e batido roteiro. Admita, mesmo você o torcedor mais otimista já estava pensando no final triste a essa hora

Mas os flamenguistas não contavam com uma mudança brusca de enredo. Não contávamos com o nosso plot twist: Vinícius Júnior.

E como todo bom cineasta faz, as pistas estavam sempre ali na nossa cara, desde o início e não conseguimos perceber porque nos deixamos levar pela  narrativa que parece a mesma de sempre: Vini entrou aos 21' no lugar de um sumido Éverton Ribeiro, participou pouco e quando apareceu pela primeira vez fez feio: chutou bisonhamente pra fora.

Mas ainda não era hora da virada de roteiro: era preciso esperar o momento mais inesperado, quando todos estivessem jogando a toalha, putos, discutindo com os amigos, rachando amizades de anos. Era preciso esperar até o momento em que todos estivessem distraídos com a narrativa, para aí o filme ser virado de cabeça pra baixo: aos 32' recebeu lançamento de Paquetá na direita - o que deveria ser substituído! - partiu pra cima, perdeu um pouco o controle da bola, foi pra cima de novo, passou como quis por entre a defesa equatoriana e chutou pra bola ainda desviar no zagueiro e estufar o fundo das redes.

Tudo igual no marcador. Pelo visto dessa vez o final do roteiro tem algo um pouco diferente.

Mas aí Dourado resolveu perder gol de frente pro crime, e o Emelec foi ao ataque. Aí o temor voltou de novo: será que seria um roteiro como Assassinato na Casa do Pastor? Em que o que parece que é realmente é e a virada no final é só uma forma de iludir o leitor e mostrar que tudo era do jeito que se mostrava ser?

Não. O nosso plot twist seria total, afinal ele vale 45 milhões de euros. Uma virada de roteiro patrocinada por M. Night Shyamalan: Éverton lançou, Vinícius pegou, tabelou com Diego na área e acertou um belo chute de esquerda. Virada no George Capwell.

Pra provar que quem entende de futebol são os olheiros do Madrid. E não o hater enfurnado no computador chamando ele de "Novo Negueba".

Em um jogo difícil, fora de casa em que nada parecia dar certo a promessa jogando do lado que não curte do ataque faz dois gols com a perna ruim. E mesmo após derrotar os donos da casa ainda é chamado pra tirar fotos e ser paparicado pela torcida rival. Alguém imaginava um desfecho assim?

Não, porque o que fez Vinícius Júnior hoje não tá escrito no script. Admitamos, foi um puta plot twist.

Nenhum comentário:

Postar um comentário