domingo, 29 de abril de 2018

Segue o líder | Ceará 0x3 Flamengo



Os vândalos e os hipócritas da bola, aqueles que acham que o mundo do futebol possui uma redoma invisível que impede de que as leis que valem aqui fora valham ali dentro, irão ignorar tudo que levou o Flamengo à vitória:


Ignorarão a mudança tática de adiantar Diego, tirar Paquetá da ponta - onde é subutilizado - e o recuar para fazer a função que o camisa 10 andava fazendo, mal, e travava o time.

Ignorarão a saída de Arão - que nunca devia ter entrado no time titular - e a entrada de Éverton Ribeiro - que nunca deveria ter saído.

Ignorarão até mesmo a própria fragilidade do Ceará, time que , apesar de possuir ideias interessantes, é fraco e abre fácil quando o adversário aperta. Tanto que até agora não marcou seu primeiro gol nessa volta para a Série A do Brasileirão. Além de possuírem alas de não muito combate, deixando ER e Vinícius Jr. deitar e rolar pelas pontas.

Ignorarão isso e muito mais em nome da batida narrativa de que o time só voltou a jogar bem porque foi pressionado, intimidado e quase agredido por meia dúzia de vândalos. Parte da torcida cai nessa. Esquece que por tipos como aquele que o clube foi punido com dois jogos em casa (que poderiam ser mais) sem torcida na Libertadores.

Se a vitória de hoje teve a influência de alguma torcida, certamente foi a cearense, que abraçou o time e deu uma aula de como apoiar. Se dependesse do ocorrido no aeroporto, o time chegaria nervoso e um vexame poderia ter ocorrido. Mas a Fla - CE, além de receber bem o elenco, cantou como nunca e chegou a calar a torcida da casa. Podem ser xingados de "mistos", mas são tão flamenguistas quanto qualquer carioca.

Jogadores de destaque voltaram a ter boas atuações: Paquetá, jogando numa posição onde se sente mais a vontade, mandou prender e soltar no meio e foi o melhor em campo. Vinícius cresceu no segundo tempo e deu um apavoro na ponta esquerda, e ainda saiu com dois gols, o primeiro uma pintura. ER mostrou técnica, habilidade e uma vontade acima da média para voltar a marcar.

Diego, um dos mais criticados - com muita razão - e principal alvo dos "torcedores" na sexta fez uma atuação ok, não travou o time como vinha fazendo e ainda fez o gol que fechou o placar. Foi comemorar com a torcida, numa cena que fica ainda mais bonita pelo contexto, mas que devido ao atraso de nossos juízes lhe rendeu o cartão amarelo.

No fim, deu uma bela entrevista, diferentemente das de costume onde exala um conformismo e só fala coisas dentro do "script". Recupera um pouco de seu moral da torcida, mas ainda deve muito.

A volta à liderança 

Depois de 7 anos e alguns dias o Flamengo volta a fechar uma rodada do Brasileirão na liderança. Tempo demais para um clube que se considera grande, sete anos sem nenhuma rodadinha na primeira colocação.

Não dá para empolgar, a atuação de hoje é ainda uma exceção num mar de má atuações e irregularidade do time, e a equipe que enfrentamos é muito frágil. Mas apesar disso, dá para ficar um pouco feliz com o primeiro lugar. E dá pra sonhar mantê-lo por mais algumas rodadas, com Inter, Chapecoense e Vasco se mostrando adversários acessíveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário