sábado, 26 de maio de 2018

Fla, abrace de vez a retranca | Atlético Mineiro 0x1 Flamengo


Todo mundo acha bonitinho jogar que nem Guardiola. Saída lavolpiana, amplitude ofensiva, posse de bola passando dos 70% e 10 jogadores no campo de ataque. Mas o fato é que nem todo time pode jogar assim, às vezes por não ter capacidade técnica e às vezes pelas características dos jogadores simplesmente não casarem com essa proposta de jogo.

O Flamengo é um desses casos.

Possui uma zaga lenta, laterais sem grande intelecto e um centroavante que não consegue manter a bola 5 segundos no ataque. Tudo ao inverso do que pediria um elenco que se propõe a um jogo de posse. Por outro lado, possuímos zagueiros altos, meias com capacidade de passes velozes e diretos e pontas habilidosos e insinuantes, sem falar em 3 CA's bons de cabeceio e oportunistas. Olhando assim, não seria mais sensato deixar de lado o guardiolismo e abraçar a boa e velha retranca com ligações rápidas para Vinícius/Éverton? Algo assim meio cholístico.

Olhemos nosso jogo de hoje contra o Atlético, jogamos absurdamente mal? Sim.Tomamos um sufoco desnecessário em variados momentos da partida? Também. Mas conseguimos suportar a pressão durante boa parte do tempo e tínhamos lapsos de futebol que permitiam passes em profundidade para Vinícius correr contra a zaga em linha alta da equipe mineira. Num desses lances, o Flamengo lançou, a zaga atleticana afastou mal e Vini foi como uma locomotiva para dentro da área e só rolou para Éverton Ribeiro fazer o tento da vitória.

Obviamente, não vai ser uma simples mudança de estilo de jogo que fará o Fla se tornar uma equipe organizada. Nosso time ainda se prova muitas vezes perdido em campo, espaçado e com uma saída de bola podre de ruim. Mas tem como se ajustar nessa parada para a Copa, e entrar de vez no mundo da retranca e da ligação direta.

Para os puristas do futebol ofensivo que sempre marcou os rubro-negros, apenas digo isso: é melhor aceitar e usar uma estratégia mais condizente com as características de nossos atletas do que ficar perdido num meio termo como costuma acontecer. Com metade do time no ataque mas a defesa - por saber que não é veloz o suficiente pra voltar pra recompor - presa no campo defensivo deixando um buraco no meio de campo para a outra equipe deitar e rolar.

Esqueçam suas fantasias guardiolísticas, abracem o cholismo. Abracem a ligação direta. Abracem as linhas baixas. Abracem a retranca!

Só a base nos salvará

É impressionante como passa tempo volta tempo e o Flamengo mesmo após gastar rios de dinheiro com medalhões sempre acaba sendo mais feliz quando recorre à sua base. Léo Duarte e Thuler mesmo sendo pressionados de forma impiedosa pelo Atlético não se intimidaram e passaram segurança na zaga. Principalmente o segundo, que na sua estréia como titular atuou como gente grande. Sem falar em Vinícius cada vez mais importante para o time, os números comprovam. Ah se Paquetá resolver voltar a jogar bola...

Nenhum comentário:

Postar um comentário